Carne vermelha: mocinha ou vilã?



Fala-se muito sobre os efeitos prejudiciais que a carne vermelha traz à saúde. Ao mesmo tempo, sua inclusão na alimentação...

12/05/2011 -


Fala-se muito sobre os efeitos prejudiciais que a carne vermelha traz à saúde. Ao mesmo tempo, sua inclusão na alimentação é muito importante para manutenção de um organismo saudável. As pessoas que se preocupam com a saúde deparam-se com informações contraditórias e acabam tendo dúvidas, além de atitudes radicais em relação ao consumo desse alimento. Destaca-se então, pontos positivos e negativos referentes à “intrigante” carne vermelha:



POSITIVOS:



Sua principal função na alimentação humana é fornecer proteína de alta qualidade (responsável pela construção e regeneração celular), ferro, zinco e vitamina B12 (responsáveis pelo combate à anemia e cansaço) -  elementos esses, essenciais para a manutenção da saúde.



Alguns alimentos de origem vegetal até podem conter ferro, mas é um ferro do tipo não-heme, que tem uma menor absorção pelo organismo do que o ferro tipo heme, proveniente de alimentos de origem animal. Um maior teor de vitamina C na refeição pode aumentar a biodisponibilidade de ferro não-heme, portanto insira goiaba, kiwi, suco de laranja, caju, tangerina, acerola em suas refeições. Boas fontes de ferro em vegetais podem ser lentilha, feijão, soja, castanhas, frutas secas e vegetais verde-escuros.



Os alimentos vegetais têm uma quantidade limitada de vitamina B12. Ovo-lacto-vegetarianos, apesar de consumirem laticínios e ovos, que contém vitamina B12, têm níveis sangüíneos reduzidos desta vitamina. Segundo a ADA (Associação Dietética Americana) aconselha-se a suplementação ou o uso de alimentos enriquecidos com vitamina B12 para vegetarianos que evitam ou limitam os alimentos de origem animal. Com o envelhecimento, a absorção de vitamina B12 é menos eficiente, assim, segundo a ADA os suplementos podem ser aconselhados para todos os vegetarianos idosos. Existem aqueles que só restringem carne vermelha, e comem pouco frango, preferindo peixes e laticínios. Estes são os pseudovegetarianos. Sua alimentação, se balanceada, não traz grande risco. Maior atenção deve ser dada ao hemograma completo para avaliar ferro e ferritina sérica, uma vez que deixou de consumir a carne, o principal fornecedor de ferro.



NEGATIVOS:



Em excesso, a carne vermelha, assim como outros alimentos ricos em proteína, pode sobrecarregar os rins que terão trabalho extra para elimiar os excesso de proteína.



Ela também é fonte de colesterol e gordura saturada. Estas aumentam o LDL-colesterol, fator de risco para doenças coronarianas, ao alojar-se nas artérias. Outro fator relevante é a relação deste alimento com a incidência de câncer. Estudos recentes revelam que consumir carne vermelha mais de 5 X por semana aumenta o risco de desenvolver a doença. Já o consumo de até 3 X por semana não evidenciou esse risco de desenvolver câncer. No entanto, este risco torna-se menor entre as pessoas que ingerem muitas fibras por meio de alimentos como verduras, frutas e cereais.



Então, o que é possível fazer? Consumir carne branca em 80% das vezes. É indiscutível o quanto o tipo de gordura da carne branca é melhor, principalmente dos peixes. A Associação Americana do Coração indica um consumo de peixe de duas vezes por semana, devido o efeito protetor dos ácidos graxos omega 3 (altamente poliinsaturados). Uma dica é buscar opções mais leves. Que carnes magras são boas opções? As carnes conhecidas popularmente como “de segunda” são mais magras e, por este mesmo motivo, não são tão macias quanto um filé mignon ou uma picanha, ambos ricos em gordura. Boas opções seriam coxão mole ou duro, lagarto, fraldinha, alcatra, maminha e patinho.



Outra estratégia importante é o modo de preparo da carne vermelha: sabe-se que grelhar é a forma mais saudável para preparar, porém, a “crostinha” que se forma é rica em nitrosamina, substância altamente cancerígena, formada pela reação do nitrito presente na carne. Portanto, a vocês, amantes de carne, recomenda-se comer a parte interna!



Equilibre sua dieta com carnes de diferentes tipos, deixando a carne vermelha para 2 a 3 vezes por semana. O segredo é moderar o consumo e dar preferência à versões de carne masi magra.



Quer uma ideia criativa e mais magra? Prepare um bolinho de carne moída tipo patinho, tempere com um pouco de pimenta e sal, e grelhe levemente!



 

Fonte: Equilibrium Consultoria

Noticias relacionadas